O futuro da cidade atravessa o corpo e a educação

Saudade de viver a cidade estimula a pensar como será o espaço urbano do futuro… com resiliência climática, à prova de pandemias, atenta à justiça socioambiental … O desafio do FIS (Formação Integrada para a Sustentabilidade – FGV/EAESP) deste semestre lança um olhar sobre qual será a São Paulo de 2030, a partir de uma investigação sobre suas especificidades, sobre exemplos mundo afora e, principalmente, o imaginário Para estimular essa construção, boas doses de transdisciplinaridade e estímulos a partir do corpo.

Imagens via Instagram: @alexrlsfilho@thomas_barbey@anish.kapoor@teresamesseder.arte @darrellcolins47 @diztantdreamer #antoniobandeirapintor

Benefícios e inspirações das Experiências de Corpo e Movimento

As ligações entre os caminhos físicos do corpo e os rumos que tomamos na vida podem surpreender. Ative sua percepção, seus modos de mover e novas potências com nossas experiências de corpo e movimento, que acontecem toda semana, em diferentes horários.

O corpo é nossa dimensão primordial para transformação dos estados de espírito que experienciamos. E ele não precisa de muito para colocar esse poder em prática. Às vezes uma música no quarto e uma dança espontânea bastam. Mas sempre dá para ir mais fundo, tanto na consciência corporal como nas potências do mover. Reconectar com seu centro pode ser um caminho mais simples e prazeroso do que se imagina. A tal da conexão corpo e mente para além dos discursos e das formas fixas de mover.

O universo corporal é nossa dimensão de percepção e expressão na presença e no virtual também. Nutrir a consciência corporal é criar novas possibilidades e relações com o próprio corpo e com os modos de estar no mundo. Não deixe que o mundo lá fora cale as potências do mundo aí dentro. Cultive percepção, consciência corporal, expressão, autoconhecimento e cuidado de si.

Para saber mais, clique aqui ou entre em contato.

Nova turma do FIS tem como desafio a resiliência às mudanças climáticas na cidade

Toda cidade representa uma modificação do espaço e das condições ambientais que nele se expressam, como provoca a obra de Jacob Eisinger (imagem de capa). Nos dias de hoje, essas alterações locais vêm acrescidas dos efeitos das mudanças climáticas globais, o que impõe um desafio de como as cidades se preparam para essa nova realidade e como as pessoas em suas diferentes condições socioeconômicas são incluídas neste processo.

Esse é o contexto do desafio que a nova turma da Formação Integrada para a Sustentabilidade (FIS), da FGV-SP, recebeu hoje: “Criar uma experiência visual que nos leve a imaginar cenários da evolução da resiliência climática da cidade de São Paulo nos próximos 30 anos “. Para lidar com esse desafio vamos fundir conhecimento formal e experiências para nutrir o processo formativo de caráter transdisciplinar, evocando diferentes camadas de sentido e incluindo a subjetividade nessa jornada.

Em breve, mais notícias dessa parceria do ConeCsoma com o Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV/EAESP.

As imagens de sampa aqui vieram do Instagram @olharesdesampa , que fez a curadoria dos seguintes fotógrafos (de baixo para cima, da direita para a esquerda): @fernandopatto @rrodegher @offlimitsbr @magali_maschi @paraisopolis.foto @hirahata_photos @alexgarciapz @bragadrone